sexta-feira, 29 de abril de 2011

O BAILE DOS SONHOS



 O vestido era simples e elegante,
negro, cor da noite.
Um decote um pouco ousado
Seus seios eram os bordados.
Um tecido leve, quase transparente
Nada se via,
Mas ele a olhava e seu olhar fascinado o traia
                      Com aquele brilho intenso, de quem tudo via.
Os pés quase nus, umas sandálias os contornavam
Saltos altos e elegantes.
Passos leves...
Flutuava...
 Maquiagem leve,
Realçava no rosto a felicidade
E os cabelos curtos
 deixavam a nuca  em liberdade.
Ela entra no salão, o baile já começara
Ele pára, olha, hesita, pensa:
Ela é um sonho? Ou é real?

Ele ousa, fita-a, já não consegue desviar
Aproxima-se e a convida pra dançar.

Ela se deixa abraçar, se deixa levar
A música os embala, os embriaga...
Parece um sonho
Dois corpos unidos, num só ritmo...
O perfume... O calor... O toque...
Ela sente a respiração quente na sua nuca
 Arrepia-se, entrega-se,
Aquela dança,
Aquela noite é só magia
Ele então descobre o principal.
Ela é mais que um belo vestido
Com um decote sensual,
Ela é no mínimo um perigo
Que ele nunca viu igual.

Inspirado no poema “O Principal” de Silvana Duboc

sexta-feira, 22 de abril de 2011

INDULTO DA PAIXÃO

João 17:33 “Disse-vos estas coisas,
para que tenhais paz em mim.
Haveis de ter aflições no mundo;
mas tende confiança, eu venci o mundo.”


A mão terna que ornamenta o andor
traz ranhuras de um passado
conta e reconta o esmaecido rosário
assoprando na reza os Mistérios:

Gozosos
Dolorosos
Gloriosos
Luminosos

Lustra os paralelepípedos da cidade
com seus simples calçados dominicais
fragilidade de mulher amparada pelo poder da Fé


Para cada esquina um calvário
debulhado em Cristo, anjos e ais
em refrões embalando o cortejo:


“Tu és, Senhor, o meu pastor
por isso nada em minha vida faltará
Tu és, Senhor, o meu pastor
por isso nada em minha vida faltará”


No lindo vestido azul floral
sobreposta fita de cetim imaculada
de uma virtuosa filha de Maria
na trajetória de mais uma alma em júbilo entoa:


“Tu és, Senhor, o meu pastor
por isso nada em minha vida faltará
Tu és, Senhor, o meu pastor
por isso nada em minha vida faltará”


Mistérios singelos de Paixão e Fé...

Carmem  MSF Pilloto


Homenagem a minha mãe, Márcia, que viveu este poema em vida

quinta-feira, 21 de abril de 2011

DORME ...



Dorme bebê
Sonha com um mundo
De paz, e harmonia
Entre o homem e a Natureza
Sonha com um mundo
De amor
Entre o homem e o próprio homem.
É o mundo que a vovó Zezinha
Deseja para você
E para todas as crianças do planeta.

Zezinha Sousa

terça-feira, 19 de abril de 2011

GOSTO DE GENTE





 Gosto de gente
Que sente alegria no peito
Mesmo sem saber direito
Porque está tão feliz.

Gosto de gente
Que se emociona fácil,
Que sente carinho na alma,
Que tem ternura no olhar.
Que fala com delicadeza,
Que vive suas tristezas
Sem perder da essência a beleza
E que sabe cativar.

Gosto de gente que pensa,
Que vagueia de vez em quando,
Que sonha com um grande amor.
Que olha as coisas simples
Com um olhar diferente
Que vê beleza nas cores
E também sente o sabor.

Gosto de gente que vê
Poesia na Natureza:
Um pássaro livre cantando
Uma borboleta voando
Uma chuva fininha caindo
Ou o Sol lá em cima brilhando.

Gosto de gente que ama
Simplesmente por amar
E que deixa esse amor
Do seu coração, derramar.

Gosto de gente
Que não julga
E que sabe perdoar

Gosto de gente sincera
Que fala com o olhar
E que com mãos delicadas
Toca o outro ao falar.

Gosto de gente que abraça
Um abraço apertado
Cheio de afeto e cuidado
Que deixa no outro o calor
E uma sensação de bem- estar.

  Zezinha Sousa

sexta-feira, 15 de abril de 2011

DECISÃO





Decidi ser feliz,
Não importa se está claro ou escuro,
Se está quente,
Se está frio.
Não importa...
Serei feliz assim mesmo!
Não importa se tenho você aqui
Ou se longe de mim estás
Não importa...
Serei feliz assim mesmo!
Pois de tanto procurar
A felicidade encontrar
Descobri onde ela está.
Banhando meus sonhos de amor
Nas águas salgadas do mar
Nos raios do Sol
Ou na luz do Luar
Viajei pra dentro de mim
Perdi-me nos labirintos do meu ser
Não desisti, insisti
E quando enfim me encontrei...
Lá estava ela
Sorrindo pra mim.

Zezinha Lins


domingo, 10 de abril de 2011

DESPIDA




Despida
 De tristezas,
 De paixões,
 De ressentimentos
 E ilusões,

Busco a luz
E encontro...

Na serenidade,
Na capacidade de amar
Sem esperar nada em troca,
Na paciência de saber esperar,
Na esperança de poder recomeçar,
No desejo cada vez mais crescente
De vencer os desafios

E assim me libertar.

Zezinha Sousa


quarta-feira, 6 de abril de 2011

SIMPLICIDADE


Na simplicidade de um momento

Pensamentos se espalham com o vento

Depois voltam, com forma, cheiro, cor e poesia.


Zezinha Sousa

sábado, 2 de abril de 2011

MINHA FLOR

Vem...
Encosta-te a mim
Sentes minha pele
Aveludada, igual a tua.

Sentes meu carinho...
Aproxima-te mais de mim...

Ah... Não podes?
Também não posso daqui sair.
Temos raízes
Que nos fixam num só lugar.

Mas... Esticas o teu corpinho...
Vem...
Encosta-te a mim
Só um pouquinho...

E eu já serei feliz.


Zezinha Sousa



Poema sem registro

Numa folha de papel em branco Fiz de ti, poesia Versos concebidos em silêncio  Total ausência de grafia Segredos que não ouso ...