domingo, 3 de abril de 2016

O BEIJO




Manifestação espontânea,
Assume diferentes formas.
Perfeita celebração do encontro.

O beijo molhado no encontro de dois rios;
O beijo estalado da chuva no telhado;
O beijo desejado em cada despedida
entre o Sol e a Lua, no fim do dia;
Beijo doce nas mãos, na testa, na face;
Beijo salgado do mar com a areia.

Beijo primeiro;
Beijo roubado;
Beijo ofertado;

Beijo traidor que oferece a cruz;
Beijo redentor que oferece o céu.
Lábios que se perdem e ávidos se encontram.

Beijo que dura o tempo de uma vida
Beijo matinal com sabor de café
Beijo tranquilo depois do almoço
Beijo de fogo depois do jantar.


Zezinha Lins





Um comentário:

Poesia do Bem disse...

E o beijo é mesmo a linguagem da alma

Poema sem registro

Numa folha de papel em branco Fiz de ti, poesia Versos concebidos em silêncio  Total ausência de grafia Segredos que não ouso ...