O BAILE DOS SONHOS


O vestido era simples e elegante,
negro, cor da noite.
Um decote um pouco ousado
Seus seios eram os bordados.
Um tecido leve, quase transparente
Nada se via,
Mas ele a olhava e seu olhar fascinado o traia
                      Com aquele brilho intenso, de quem tudo via.
Os pés quase nus, umas sandálias os contornavam
Saltos altos e elegantes.
Passos leves...
Flutuava...
 Maquiagem leve,
Realçava no rosto a felicidade
E os cabelos curtos
 deixavam a nuca  em liberdade.
Ela entra no salão, o baile já começara
Ele pára, olha, hesita, pensa:
Ela é um sonho? Ou é real?

Ele ousa, fita-a, já não consegue desviar
Aproxima-se e a convida pra dançar.

Ela se deixa abraçar, se deixa levar
A música os embala, os embriaga...
Parece um sonho
Dois corpos unidos, num só ritmo...
O perfume... O calor... O toque...
Ela sente a respiração quente na sua nuca
 Arrepia-se, entrega-se,
Aquela dança,
Aquela noite é só magia
Ele então descobre o principal.
Ela é mais que um belo vestido
Com um decote sensual,
Ela é no mínimo um perigo
Que ele nunca viu igual.

 Zezinha Sousa

Inspirado no poema “O Principal” de Silvana Duboc

Comentários

Lucimara disse…
Uau!
Que envolvente... Lindo, Zezinha!
Bjs e obrigada pelas visitas...
Denise disse…
Arrasou, Zezinha!

"O vestido era simples e elegante,
negro, cor da noite.
Um decote um pouco ousado
Seus seios eram os bordados"

Sutileza do princípio ao fim - tal qual a dama dessa noite, um encanto, um perigo...ou o doce abrigo para o amor??

Beijo grande, amiga cheia de romantismo e sensibilidade!
Zé Carlos disse…
Zezinha querida, vc arrasa sempre que posta. Mas este poema está maravilhoso por que a gente (eu pelo menos) enxergo vc, linda e insinuante nestas linhas.
Parabéns poeta, vc destrói corações.....

Beijos do ZC
Muito bom, Zezinha:) Parabéns!

Está descrito em detalhes
Reunião de dois
E a dança do amor despertado
E os dois mágicos.

Eu era movido por essas letras
Tenho mexido ansiedade
Eu gosto de dançar e uma noite
Para sentir a magia nos rins.

Abraços!
Marisa Mattos disse…
Zezinha que lindo poema...adorei a sutileza...Nunca perco meu tempo quando venho aqui.Show dw bola!!!
orvalho do ceu disse…
Olá,
E é o amor que é mais forte e torna-se um "perigo" constante...
Abraços fraternos com votos de muita paz interior.
CLIP disse…
Querida amiga, com vossa permissão estou levando esse adorável "baile" para o CLIP, os Clipoetas, os Poetamigos vão adorar essa "dança".
Um grande beijo
Mara Bombo

Postagens mais visitadas deste blog

Versos Improvisados

TUDO PASSA