sábado, 28 de agosto de 2010

PALAVRAS E PALAVRAS...


Palavras...
Com elas podemos construir um amor,
Mas também podemos destruir um coração.
Com elas podemos acariciar,
Mas também podemos machucar.
Com elas podemos fazer alguém sorrir,
Mas também fazemos alguém chorar.
Palavras são flores perfumadas...
Ou espinhos cruéis.
São toques suaves...
Ou flechas certeiras.
Alvo atingido é ferida aberta.
E as rosas brancas aos poucos
São tingidas de vermelho...
É sangue que mancha...
É sangue que brota...
São apenas palavras...
Palavras que matam.

Zezinha Sousa

12 comentários:

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Uma palavra: Parabéns!

Bom domingo, Zezinha.

Denise disse...

Em UMA palavra: Maravilhoso!

Teu poema toca fundo, Zezinha, traduz almas, anuncia a perspicácia que nos torna mais atentos...embora falantes que cometem erros graves, com a palavra...

Um lindo domingo, bjos!

Arnoldo Pimentel disse...

Muito lindo o poema, palavras podem sim afetar as pessoas, os corações.Parabéns e tudo de bom pra você,beijos.

Denise Almeida disse...

Oi, Zezinha.

Mais uma vez se mostra uma pessoa sensível. Parabéns!

Beijos.

Zé Carlos disse...

Vc tem toda inspiração de uma poeta de renome, mas não seja drástica. Uma palavrinha só pode fazer o coração voltar a sorrir e as lágrimas secarem.

Um beijo enorme do seu amigo de toda vida, ZC

Zé Carlos disse...

Não era neste Blog que existia um vídeo de Glória do Goitá, esta cidade maravilhosa de Pernambuco? Que pena que desapareceu.

Zé Carlos disse...

Já descobri, ele foi lá para baixo, a vida anda rápido!!!!!!!

Ivy disse...

São fortes suas palavras...

Parabéns!

Bjs e uma linda semana pra ti!

Lívia Aparecida disse...

Olá minha amiga, tudo bem com você?E por falar em palavras, quero escrever palavras que construam a nossa amizade... Gostei meuito desta sua reflexão poética. Grande abraço

Mari disse...

Bravo minha amiga...
Que as palavras digam e não maltratem!
Beijos

Anônimo disse...

Seu poema é cheio de verdades descritas com o seu jeito único de poetar, amiga Zezinha. A palavra tem que ser usada con cuidado, Um dia fiz
um poema do qual envio o trecho iniciaal, que dizia o seguinte:
Cuide da palavra.
Trate-a com cautela.
Pode abrir ferida
mas pode ser bela.
Terra que se lavra
pra gerar a vida,
trate-a com amor
pois se for perdida,
não tocar no fundo,
dentro da pessoa,
não levar conforto
- pode ser o horror
do golpe profundo
no que já está morto. etc

Um grande abraço do seu amigo,
Théo Drummond

Mel Redi disse...

MARAVILHA, querida Zezinha! Adoro vir aqui! Grande e carinhoso abraço, Mel

Um certo tipo de amor

Num domingo à tarde, depois de ver um filme de romance do qual não sei o título porque comecei a ver quase no final, atrevo-me a escre...