quinta-feira, 12 de agosto de 2010

A ROSA

Recebo

Olho

Pego

Com jeito

Cheiro

Sinto o perfume

A mim embriaga

Sorrio feliz



Recebo

Olho

Pego

Sem jeito

Espeto-me

Sinto a dor

Machuca-me

Choro triste

.....................

Volto ao primeiro ato...

Zezinha Sousa




13 comentários:

Ivana disse...

Quanta delicadeza!
Fez muito bem de voltar para o primeiro ato. Um abraço!

Poesia do Bem disse...

Que lindo amiga Zezinha!Olha tenho recebido bstantes votos na Alice na promoção da Graciela fotografa, continue divulgando entre amigos, a promoção vaiaté dia 20 e agora 3 crianças serão premiadas então quanto mais votos ela tiver mais sãoa s chances.Ai vc não imagina como preciso dessas fotos! É um sonho pra mim, nunca pude fazer um book dessa natureza e seria uma linda recordação d esua infãncia.Continue me ajudando agradeço e desculpe desabafo e pedido! bjsssssssssssssssss

Mari disse...

Inspiradíssima hein amiga!!!!

Muito bom...eu també voltaria ao primeiro ato.

Beijos

Valy cauta iubita disse...

Olá Zezinha
Muito bom ... parabéns!
espinhos rosas Floral ficamos bêbados e picadas.
Um dia maravilhoso que você ainda quer!
Abraços!

Zezinha Sousa disse...

Olá, Valy, seus comentários na língua romena depois de traduzidos para o português fica ainda mais interessante. Abraços!

Valy cauta iubita disse...

Eu sei que a tradução não é perfeita, mas acreditamos que podemos corresponder.
Kisses

Zé Carlos disse...

Lindo poema querida.

Agora, esta foto sua do perfil me mata do coração. É muito linda.
Mantenha-a por muito tempo.

Beijos do seu maior fã, ZC

Telva Tanajura disse...

Linda,Linda...
Parabéns amiga poetiza!
Beijos!!!

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Pois é assim... a rosa que perfuma pode ser a mesma que fere. Há tod um tratado filosófico embutido nestas mínimas linhas. Parabéns, Zezinha.

Zezinha Sousa disse...

É isso mesmo, Marcelo. O poema sem coesão, porém com coerência tem esse objetivo; provocar uma leitura das entrelinhas. Bjos!!!

C Jorge F disse...

Seguidores de outros lugares, seguimo-nos, seguimo-los, seguem-nos aleatoriamente, conforme a circunstância e a curiosidade e o silêncio, cujo significado desconheceremos sempre, e a indiferença – totalitarismo futur.(E nem sei se deva ocupar este lugar, usurpando-o à fina ironia do espaço em branco...)

Zé Carlos disse...

Menina espetada pelos espinhos da rosa.... são marcas da dor da saudade que ficaram da vontade do toque da rosa!!!!!!!

Bjs do Zé Carlos

EternoAprendiz disse...

Amiga vim te oferecer o selo destaque do Eterno Aprendiz.
Beijos e ótima semana!!!

Tecelã do Tempo ( Resenha )

Fonte: blog Pedagoga Literária. https://pedagogaliteraria.blogspot.com.br/ Livro:  Tecelã do Tempo Autora:  Zezinha Lins Editora: ...