domingo, 8 de dezembro de 2013

LÁGRIMAS

As lágrimas
Que caem dos meus olhos
São como águas cristalinas a jorrar
A encharcar o solo
Onde finco minhas raízes

Ali me sustento,
Cresço,
E novamente...
Floresço.

Zezinha Lins


2 comentários:

Mário Bróis - Poeta disse...

- eu nunca tive inveja de nada nem nunca hei de ter, agora; admiração em excesso, nada me impede de ter. É exatamente o que sinto neste momento ao ler-te.

Zezinha Lins disse...

Obrigada pelo carinho, poeta. O sentimento é recíproco.

Precaução

Vesti o engano de uma tarde de verão. Com o frescor de uma manhã de primavera, Realcei as ilusões. Lentamente despertei, Perd...