sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

VIDA



A noite chega, o dia nasce
A vida dói
O peito aperta
O sorriso sai
Mas não acontece
Os olhos não brilham
O tempo passa...
Muito tempo passa.

A noite chega, o dia não nasce
Nasce a revolta
A desordem
Vem de fora e se aloja no peito
Os olhos se fecham
O coração dói
Se desarruma,
Se espalha
Chora

A noite chega, o dia nasce
O sol veio pra brilher
Saindo apenas
Para dar lugar a Lua
Linda!!!! Iluminada!!!
O sorriso sai
O coração acalma
A paz se instala
O coração ama
E canta... Feliz!!!

Mas nada é duradouro....
A Lua tem suas fases...
Assim é a vida.


Zezinha Sousa


5 comentários:

Isa disse...

Zezinha,gostei do seu Poema,da
cadência!
Beijo.
isa

C Jorge F disse...

...que por certa temos a insatisfação de nada durar enquanto existe e tudo o que é findado ser eterno...

Sotnas disse...

Olá Zezinha, desejo que tudo esteja bem contigo!
Certamente, e como fazemos parte nesta vida, também temos nossas fases. E em todas elas nos reinventamos a cada novo dia que chegamos com vida!
Belíssimo poema, obrigado pela visita e comentário gentil e carinhoso, e também pelo poema da Rosa, me senti tão lisonjeado que fiquei encabulado, muito obrigado mesmo! Abraços e até mais!

Silviah Carvalho disse...

Muito bonito o poema e reflexão sobre a vida.Feliz fim de semana.

Vivian disse...

Maravilhoso!!

É a dualidade!!Somos assim,vivendo os momentos ora de amor, ora de tristeza!
beijos
Parabéns!

Um certo tipo de amor

Num domingo à tarde, depois de ver um filme de romance do qual não sei o título porque comecei a ver quase no final, atrevo-me a escre...