sábado, 20 de março de 2010

OUTONO


J. G. de Araújo Jorge
O outono já chegou - aos arrufos do vento
as folhas num desmaio embalam-se pelo ar...- vão caindo... caindo...
uma a uma, em desalento
e uma a uma, lentamente, vão no chão pousar...
O céu perdeu o azul - vestiu-se de cinzento
e envolveu na neblina a luz baça do luar... - na alameda onde vou,
de momento a momento,
há um gemido de folha a cair e a expirar...
O arvoredo transpira as carícias dos ninhos,
e o vento a cirandar na curva das estradas
eleva o folhareu no espaço em redemoinhos...
Há um córrego a levar as folhas secas em bando... -
e à aragem que soluça
entre as ramas curvadas,
parece que o arvoredo em coro está chorando!...

Um comentário:

Amapola disse...

Bom dia, Zezinha.
Que lindo! Cada estação, quando chega, parece nos prometer, que, com ela, coisas boas podem estar vindo, para todos nós.

Um grande abraço. Feliz semana, bom trabalho.

Um certo tipo de amor

Num domingo à tarde, depois de ver um filme de romance do qual não sei o título porque comecei a ver quase no final, atrevo-me a escre...