quinta-feira, 15 de junho de 2017

Abstenção



Digo não
Ao teu amor fracionado,
Ao teu indeciso propósito,
Ao teu constante esvaecer.
Digo não
À tua perturbadora presença,
À esta atração incômoda,
A este desejo de ceder.
Digo não
À ânsia do teu beijo,
Ao teu toque vigoroso,
Ao meu corpo que fala
A mesma língua que o teu.
Digo não
E me sinto protegida
Da paixão incandescente
Que em chamas me atrai
A cada dia que se vai.
Digo não...

Zezinha Lins









2 comentários:

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Minha amiga Zezinha...

Todo amor só vale
à pena,
se for um amor
completo e pleno...

Abraço...
Aluísio Cavalcante Jr.

Monique disse...

Digo não ao amor fracionado e ao teu indeciso propósito. Porque se não for amor pleno, não é amor e não aceito. Decida-se a amar. Arrepiei!

Poema sem registro

Numa folha de papel em branco Fiz de ti, poesia Versos concebidos em silêncio  Total ausência de grafia Segredos que não ouso ...