Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2015

Versos Improvisados

Quero viver a poesia
De um poema real.
Objetivo, exato.
sem rimas, sem métrica,
sem metáforas,
sem disfarces
sem sonhos.
Apenas um poema de vida.
De vida real.
Mas o que é a vida
senão um feixe de subjetividades,
de dúvidas que geram erros
que nos conduzem aos acertos... Ou não...
De verdades que de repente não são mais?
O que é a vida senão
Um fascinante desafio
no qual somos os repentistas?
E assim seguimos nessa peleja
Desfiando versos improvisados.
Cada dia um novo mote. Zezinha Lins

O que nos move?

Nossa alma inquieta
carece de conquistas,
alavanca da vida.
O que nos move
É o que não temos.
O que sustenta nossa sabedoria.
É o que ainda não sabemos. Zezinha Lins

Evolução

Imagem
O que temos como
Espírito Filosófico da Pós Modernidade?
Insegurança,
Relações líquidas,
Dispersão.
E lá se foram:
A Mitologia,
A Física,
O Sagrado
E a Razão
Como evolução. temos
O tudo
Ou seja...
O nada. Zezinha Lins

A ROSA DE JERICÓ

Imagem
Assim como a Rosa de Jericó Busco renovar-me a cada dia Às vezes aparentemente frágil Não desisto A vontade e a alegria de viver Sempre prevalecem. Mergulho nas águas Divinas E renasço mais uma vez Assim... Como a Rosa de Jericó.

Zezinha Lins

SEM NEXO

Imagem
Somos poemas inacabados Sem rimas Sem nexo
Incertos Em busca de versos perfeitos Seguimos... Sem jeito Aos tropeços.

Zezinha Lins

Liberdade de Expressão - Simplificando

Imagem
Os desenhos provocam terror O terror provoca mais desenhos Multiplicados por milhões. O que há nos extremos Desse cabo de guerra? Flores e lágrimas para os mortos, Vingança e muito dinheiro para os vivos.

Zezinha Lins

A MAGIA DA NOITE

Imagem
Você chega como o orvalho Na madrugada se faz presente Sonolenta, escuto sua voz O sorriso sai fácil. A noite é mágica Tem a lua, Tem estrelas, Tem você.

Zezinha Lins