domingo, 31 de julho de 2011

Despida

Despida
De tristezas,
De paixões,
De ressentimentos
E ilusões,
Busco a luz
E encontro...
Na serenidade,
Na capacidade de amar
Sem esperar nada em troca,
Na paciência de saber esperar,
Na esperança de poder recomeçar,
No desejo cada vez mais crescente
De vencer os desafios
E assim me libertar.

Zezinha Lins


7 comentários:

Mário Cravo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Zé Carlos disse...

Este seu caminho é o caminho perfeito menina querida.

Uma semana maravilhosa..... uma montanha de beijos do amigo de coração, ZC

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Em forma de poema, uma verdadeira aula de como encarar a vida. Parabéns mais uma vez, Zezinha. E obrigado pela visita ao Consoantes Reticentes. Abraços.

poesias maria do carmo disse...

olá querida,tudo bem? passei pra deichar meus cumprimentos a tão nobre poetisa.parabéns,gostei muito ,bjos.

Álvaro Lins disse...

Uma excelente maneira de encarar a vida, num belo poema!
Abraço

Marcia disse...

Obrigada pela sua visita no blog cards poetisa e pela liberação do seu poema,bjos!
Parabens lindo mesmo!

Angel@ disse...

Olá, Zezinha!
Que espaço cheio de ternura e sensibilidade! Amei seus poemas! Já estou te seguindo com alegria. Ficarei contente com sua presença em meus cantinhos também:

nospassosdejesusamor.blogspot.com

docessonhosdepapel.blogspot.com

Que Deus te proteja sempre!
Beijinhos, com carinho,
Angela

Um certo tipo de amor

Num domingo à tarde, depois de ver um filme de romance do qual não sei o título porque comecei a ver quase no final, atrevo-me a escre...