quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Paradoxo


O silêncio grita
Na mente confusa
Cansada e solitária.

O silêncio acalma
A alma que busca renovação
Depois de cada tribulação.

Zezinha Lins


Poema de Amor


Fiz um poema de amor
Nesta noite fria e calma,
Versos prontos pra te acolher
Encanto da poesia alada.

Quando te sentires abraçado
Com todo afeto e cuidado,
Mesmo na tua sagrada solidão
Ouvirás uma alegre canção
Notas arteiras escapam
Das cordas de um violão.

E um fundo musical
Espalhando-se pelo ar
Com meus versos livres, brinca

Somente pra te agradar

Zezinha Lins


quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Linha do Tempo



_Menina,
Olho para trás na linha do tempo
E te vejo querendo alcançar uma estrela,
Não mais que uma.
Entre flores, versos e espinhos
Vejo-te nascer poesia,
Mas tuas feridas sangram
E agora,
O que mais queres de mim?
Aqui estou, pronta para realizar
Os sonhos que cultivastes.
Muito já fiz, mas posso fazer mais
Só para te fazer feliz...
Prometo.

_Mulher,
Entre flores, versos e espinhos
Cresci poesia
Minhas feridas já não sangram mais
Cuidastes bem delas.
Olho para frente na linha do tempo
E te vejo
Alcançando minha estrela
Não mais que uma
Vejo que cuidas em realizar meus sonhos
Mas não faças promessas
Vives apenas cada dia.

Zezinha Lins

Poema sem registro

Numa folha de papel em branco Fiz de ti, poesia Versos concebidos em silêncio  Total ausência de grafia Segredos que não ouso ...