domingo, 31 de julho de 2011

Despida

Despida
De tristezas,
De paixões,
De ressentimentos
E ilusões,
Busco a luz
E encontro...
Na serenidade,
Na capacidade de amar
Sem esperar nada em troca,
Na paciência de saber esperar,
Na esperança de poder recomeçar,
No desejo cada vez mais crescente
De vencer os desafios
E assim me libertar.

Zezinha Lins


quarta-feira, 27 de julho de 2011

SONHO...

Quero beber meus sonhos
 Devagar...
Sentir seus sabores...
Depois voltar a sonhar...


Zezinha Lins

quinta-feira, 7 de julho de 2011

UM ABRACINHO



Ei, você aí...
É você mesmo...
Você que está lendo estas linhas,
Escute com os olhos e com o coração:

Eu amo você!!!!

Assim, de graça...
E com graça.

Meu amor é como a brisa do mar
Abraça a todos que abrem os braços
E se deixam abraçar...

Posso te dar um abraço?



Poema sem registro

Numa folha de papel em branco Fiz de ti, poesia Versos concebidos em silêncio  Total ausência de grafia Segredos que não ouso ...