sábado, 21 de maio de 2011

VERSOS ALADOS



Enquanto houver primavera em setembro

Com flores desabrochando em nossos jardins

Jardins plantados, regados, cuidados...

Ou jardins sonhados, inventados, criados

Na imaginação de um ser  enamorado,

Haverá rosas, tulipas, amores-perfeitos

Margaridas, hortênsias e girassóis.

Enquanto houver um pomar

Com seus frutos suculentos

Polpas carnudas, doces, macias

Como a boca da mulher amada

Haverá magia...

No encontro de almas de todos os dias,

Nos olhos que se olham e se fundem sem se ver

Nos corações apaixonados que se entregam sem se tocar

No inexplicável desejo que explode em nosso ser.

Enquanto houver uma lua cheia no céu

Alegrando os casais de namorados

Inspirando os poetas em seus versos alados

Haverá um poema de amor

Porque o amor é pra sempre.


Zezinha Sousa

sexta-feira, 13 de maio de 2011

FLOR NEGRA




Sou mulher
Sou homem forte trabalhador
Sou menino com sede de saber
Sou o vestido mais elegante da festa
Sou o céu estrelado na noite escura
Sou flor
Sou o negro
Sou a negra
Sou a liberdade
Sou o amor.

Zezinha Sousa

08 a 13 de Maio - Semana da Igualdade Racioal




segunda-feira, 9 de maio de 2011

A DANÇA





Com passos lentos, suaves e firmes
 Danço...
Ouço a melodia  envolvente, que sai de mim
E danço... Danço...
Sorrio, rodopio feliz
Numa dança imaginária e sem par
Mas nunca só.
A esperança dança comigo
Nada, nem ninguém
Me fará parar de dançar a dança da vida
Um dia... Quem sabe...
A esperança me trará um novo par.

                                                                 
                                                                  Zezinha Sousa

sábado, 7 de maio de 2011

MEUS FILHOS, MINHA VIDA



Cinco flores cândidas
Enfeitam meu jardim
Sementes que germinaram dentro de mim
Uma a uma cresceram e de mim saíram para o mundo
Amor incondicional, intenso, imenso, incomparável
Único...
Cinco flores tão diferentes entre si
Tão perfeitas para mim
Todo zelo, todo carinho, todo amor
Que é possível alguém sentir,
Dedico aos meus amores-perfeitos
Meus filhos... Minha vida.
Mas o tempo passa, os filhos crescem
Criam asas, precisam voar...
O coração de mãe se agita, sofre, aceita, reza, espera...
Vez ou outra um a um, ao colo materno retorna
Um afago, um carinho, uma história pra contar
Um conselho, um abraço, um beijo
E o mesmo amor que permanece sempre igual
Amor incondicional, intenso, imenso, incomparável
Único...
Meus filhos... Minha vida.
Zezinha Sousa

terça-feira, 3 de maio de 2011

SIMPLES ASSIM...



Meu ser apaixonado
Se abre para a vida
Enquanto observo com cuidado
Meu interior
Deixo voar livres
Todas as minhas borboletas
Lindas, leves e vibrantes...
Casulo não mais sou.

Zezinha Lins

Poema sem registro

Numa folha de papel em branco Fiz de ti, poesia Versos concebidos em silêncio  Total ausência de grafia Segredos que não ouso ...